quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Ney Matogrosso sempre atento aos sinais secos & molhados



HISTERIA 
«Acho que o mundo tá mais careta, então ainda provoco isso. Porque já era pra estarem acostumados comigo. Já sabem quem eu sou, o que eu faço. Acho que houve uma regressão no comportamento, embora, paralelamente, exista a internet, que diz que libera.»

HOMOFOBIA 
«No Secos & Molhados, uma vez a plateia me xingou. Eu fiz uma pose linda, eles continuaram xingando e eu mandei tomar no cu. Aí a outra metade, que não estava xingando, começou a aplaudir. Ali eu vi que não podia ter medo. Se eu tivesse medo, eles iam cair em cima. Na minha vida particular, nunca. Pelo contrário: as pessoas na rua me abraçam, falam coisas lindas. Só recebo coisas boas. Acho que as pessoas gostam de mim porque eu nunca me escondi, sempre falei abertamente sobre tudo.»



PRA LÁ DE BAGDÁ 
«Não sou de beber nem de ir a boates, mas fui no aniversário de um amigo. Bebi três batidas de vodca, o que me deixou pra lá de Bagdá. Quando saí, estava trôpego. E já tinha um motorista de táxi me filmando. Uns amigos me avisaram. E eu: ‘Deixa filmar. O que pode acontecer? Eu cair? Todo mundo não cai? Eu não posso cair um dia na vida? Isso tem uns cinco anos. Antigamente, você podia ir rolando, e tudo bem. Não virava notícia, ninguém fotografa, ninguém estava preocupado.»







Sem comentários:

Enviar um comentário